Over-tunes
Por alguns trocados, só coisas de qualidade!

the Savage Hippies

Categoria: , , , , por default - sexta-feira, agosto 22, 2008
Assim como todos autores deste blog, posso dizer que sou um grande admirador da boa música.
Nesta condição, torna-se inevitável falar sobre as principais atrações de um grande festival que está por vir: Orloff Five, contando com as presenças ilustres dos malucos do Melvins e dos não menos malucos do Hives.


Começarei falando sobre o mais novo álbum do Melvins, "Nude With Boots" (2008).

Apesar de me incluir, assim como o Cassius, no hall dos viúvos do álbum Houdini, posso dizer que o novo release dos Melvins não deixa a desejar. "Nude With Boots" é mais uma prova de que Buzz Osbourne e sua turma ainda têm muita fúria e criatividade a ser destilada. Mas posso dizer que a característica que mais salta aos ouvidos é a tensão proporcionada pelas músicas.

A primeira faixa que chamou minha atenção foi #3, "Dog Island". Afinal, são poucas faixas de mais de sete minutos que conseguem cumprir a árdua tarefa de não serem um pé no saco, de forma grandiosa. Cadências lentas e hipnóticas, culminando em um final inusitado. Uma fórmula seguida à risca por gente como Josh Homme, diga-se de passagem. Nem preciso dizer que o resultado não poderia ser melhor.

"Dies Iraea" segue os bons tempos do velhos Sabbath, com direito a interlúdio e tudo mais. Pode-se até dizer que esta doutrina dita o resto do álbum, a começar pela seguinte "Suicide In Progress", que começa agitada e descamba em viagem.

#6 "The Smiling Cobra" por sua vez, possui dois grandes méritos. Em primeiro lugar, o nome da música. Em segundo, possui um riff de início que eu sempre sonhei em criar. Para falar a verdade, os dez primeiros segundos da faixa já seriam suficientes para me fazer feliz.

#7, a faixa-título, nem parece ser uma música do Melvins, a princípio. Há muito de rock setentista ali, sem falar da introdução mecânica e calculada, claramente beneficiada pela presença de duas baterias.

A faixa #10, "The Savage Hippy", parece retomar aos tempos de Houdini, tanto pela lentidão, quanto pela sujeira das guitarras. Ainda preciso tomar um pouco de coragem para poder ouvir tamanha parafernália ao vivo.

#11, "It Tastes Better Than The Truth" fecha o álbum de forma violenta e, como não poderia deixar de ser, deixa o clima de tensão no ar.

Resta saber se as paredes do Via Funchal aguentarão tamanha tensão.




Melvins - Nude With Boots / Dog Island - Live at Portland
 

0 comments so far.

Something to say?