Over-tunes
Por alguns trocados, só coisas de qualidade!

Frases para salvar seu dia

Categoria: , por default - segunda-feira, dezembro 31, 2007
Sexo

"Quando as autoridades o alertarem sobre o pecado existente no sexo, há uma importante lição a ser aprendida. Não faça sexo com autoridades."
(Matt Groening)

"Sexo é sujo? Sé se for bem feito."
(Woody Allen)


"O sexo alivia a tensão. O amor a causa."
(Woody Allen)

"Eu não recomendaria sexo, drogas ou insanidade para ninguém, mas eles sempre funcionaram para mim"
(Hunter S. Thompson)


Drogas

"Tive um problema com as drogas: não consegui encontrá-las."
(Keith Richards)

"Cocaína é a forma de Deus dizer que você está ganhando dinheiro demais."
(Robin Williams)

"Eles me ameaçaram com câncer do pulmão, e ainda assim eu fumo mais e mais. Se tivessem me ameaçado com trabalho duro, talvez eu tivesse parado."
(Mignon McLaughlin)


Outros

"Ah sim, divórcio, do latim 'arrancar os órgãos genitais de um homem através do seu bolso'"
(Robin Williams)

"Gastei a maior parte do meu dinheiro em bebidas e mulheres. O resto, gastei de maneira idiota."
(Desconhecido)


"No mundo atual, está se investindo cinco vezes mais em remédios para virilidade masculina e silicone para mulheres do que na cura do Mal de Alzheimer. Daqui a alguns anos, teremos velhas de seios grandes e velhos de pau duro, mas eles não se lembrarão para que servem."
(Drauzio Varela)

 


A Time To Be So Big

Categoria: , , por default - terça-feira, dezembro 18, 2007
"We sail today, tears drown in the wake of delight / There's nothing like this built today / You'll never see a finer ship or receive a better tip in your life / I am a scavenger between the sheets of union / Lately I can't tell for sure whether machines turn anyone" (Take You on a Cruise)

Em clima de contagem regressiva para a chegada dos nova-iorquinos do Interpol, falarei sobre mais um álbum deles: Antics, de 2004.

Antics segue o caminho iniciado no aclamado debut Turn On The Bright Lights. A atmosfera sombria, a sonoridade densa e as referências a gente como Joy Division e Echo & The Bunnymen ainda estão presentes, mas com uma roupagem diferenciada. O clima de tensão dá lugar à sensação latente de obsessão. Difícil explicar, só ouvindo (e vendo) para entender.

Fica meio difícil falar de destaques, pois o álbum é bastante coeso e todas as faixas têm grande valor, cumprindo com louvor a tarefa de afastar qualquer impressão de que o sucesso da banda seja fruto de mero hype. Mas vamos lá: Next Exit começa com órgãos tubulares e deixa uma impressão de domingo ensolarado; Narc e Slow Hands representam a vertente dançante do disco, flertando com grandes nomes como Talking Heads e Gang of Four. O disco fecha com a bela e arrastada A Time To Be So Small, que conta com um grande trabalho de guitarra.


Interpol - "Antics"
Over-Meter: 91%

Download via MegaUpload

 


do you have TP for my bunghole?

por default - segunda-feira, dezembro 10, 2007
Continuando a saga, mais uma opção de lazer para os vagabundos de plantão.
Quem tem mais de 20 anos com certeza deve se lembrar desses caras. Com histórias curtas, suas gírias mal-criadas e a animação tosca, Beavis & Butt-Head conseguiram retratar bem uma grande parcela da juventude americana. Assim como acontece nos Simpsons e em South Park, são os americanos tirando uma deles mesmos. Mike Judge soube ensinar bem a lição. Um reflexo disso é que ele está por ai até hoje com seu "O Rei Do Pedaço" (King Of The Hill), e seus rebentos adolescentes com certeza deixaram muitas saudades.

* Bonus: clipe genial do Wax, Southern California, dirigido por Spike Jonze e comentado pela dupla.



 


What's On?

Categoria: , , por Ênio Vital - sábado, dezembro 08, 2007
Apesar da essencia deste blog ser disseminar os nossos albums favoritos - não o usaremos apenas para isso. O post anterior do Pierre já demostrou.
Agora, é minha vez de escapar um pouco e indicar um jogo bacana para o "tédio" de férias. Todos sabem que chega uma hora que não há mais o que fazer, então que surge BLOXORZ. O jogo se prende em uma dinâmica simples e na exploração da lógica. Possui umas 30 e tantas fases e por possuir password você não precisa acabar numa tacada, pode fazer um por dia numa boa.

Vou aproveitar a deixa e fazer uma outra indicação. Desta vez, para o site POKERLOCO que é em português e você não precisa apostar dinheiro de verdade e nem pagar pelo falso.

Acho que esqueci de comentar, adicionei um link sobre os memoráveis, eternos e fodidos filmes da sessão da tarde que estão sendo distribuidos por este BLOG.

Por enquanto, é só!
HAVE FUN, DUDES!
 


cyanide & happiness #399

Categoria: , , por default - quinta-feira, dezembro 06, 2007
Sempre gostei de quadrinhos. Quadrinhos toscos então, nem se fala!
Esse ai embaixo é um exemplo. Descobri hoje.
Reparem que lembra bastante o grande Don Hertzfeldt.



 


Acenda o Iluminado!

Categoria: , , por Ênio Vital - sábado, dezembro 01, 2007

O Interpol se consolidou como um dos primogênitos do boom-novaiorquino de bandas indie do começo da década no lançamento de seu album-debut, "Turn on the Bright Lights". Não só pelo sucesso de vendas, mas com uma peculariedade em sua instrumentalidade: dar uma nova roupagem ao Joy Division. Porém, com uma maior minuciosidade dos fatos, o paralelo entre a voz de Ian Curtis com Paul Banks, os vazios densos entre as batidas e riffs secos é o que chamou a atenção para a gravadora Matador colocar a mão na massa por mais uma boa banda post-punk.

Sem tanta conversa fiada, vamos logo para os aproximados 48' que nos esperam.O prelúdio, uma faixa sem título, é o ápice no improviso de todo o album. Em seguida, vem "Obstacle 1", um dos singles de trabalho - c/ um clipe massa e uma pegada dançante - se transorfmou em hit. "NYC"(#3), outro single de trabalho tem uma das letras mais legais do disco. Essa trinca é o que mais me chama atenção, embora o disco todo se mantenha no mesmo nível, exemplos: "Say Hello to the Angels", "Roland" e "PDA". Uma das críticas mais comuns que se fez a respeito do album, é ele possuir uma sonoridade semelhante - aqui, instala-se uma lacuna que você preenche por: ou ser falta de criativida ou uma nota de roda-pé.

O quarteto formado por: Paul Banks(vocalista/guitarrista), Daniel Kessler(guitarrista/back vocals), Carlos Dengler(baixo/teclado) e Sam Fogarino(bateria), após muitos boatos, mentiras e aflição de seus fãs, oficializaram sua turnê no Brasil em três datas de Março de 2008, nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. A expectativa de um grande show é inevitável, vamos ver se a presença de palco compensa o gélido rock.


Interpol - Turn on the Bright Lights
Over-meter: 81%
 


Rock Against Ass

Categoria: , , por default - sexta-feira, novembro 23, 2007
Este blog começou com a idéia de juntar alguns dos albuns preferidos dos autores. Depois de pensar um pouco sobre o post de estréia, chegamos a um consenso: a discografia do Queens Of The Stone Age seria nosso ponto de partida. Por isto, nada mais justo que incluir neste seleto hall uma das influências confessas não só do QOTSA (que chegaram a fazer uma excelente cover de "Back to Dungaree High"), como também de várias bandas de Stoner: o álbum "Apocalypse Dudes" (1998), do quinteto norueguês Turbonegro.

A audição deste álbum nos leva a uma conclusão: é possível juntar simplicidade, eficiência e irreverência de forma honesta. Simplicidade, pois a maioria das faixas não ultrapassa os 3 minutos. Eficiência, pois os noruegueses preferem investir em feeling ao invés de virtuosismo, e convenhamos, virtuosismo enche o saco. Irreverência, pois no tracklist há desde "Don't Say Motherfucker, Motherfucker" a "Rendezvous With Anus". Com nomes de música como estes, não tem como um álbum ser ruim.

Enfim, that's what rock 'n roll is all about.



Turbonegro - "Apocalypse Dudes"
Over-Meter: 88%

Download via Rapidshare
senha: suburbanterror.blogspot.com









 


Inapropriado Para Menores

Categoria: , , por default - segunda-feira, novembro 19, 2007

QOTSA - Late Show With David Letterman

Repetir o sucesso de um álbum de estréia sempre é um desafio para a maioria das bandas de rock. Com Rated R, o Queens Of The Stone Age conseguiu esta façanha com mérito. Algumas publicações chegaram a comparar seu poder de fogo com o de Nevermind, do Nirvana. Exageros à parte, o impacto do álbum na música é inquestionável.

Diferente do álbum de estréia, Rated R tem uma sonoridade mais variada, indo do hardcore violento de Tension Head à psicodelia escancarada de Better Living Through Chemistry. O hino hedonista "Feel Good Hit Of The Summer" abre o disco com maestria, sendo seguido pelo "hit" "The Lost Art Of Keeping A Secret", a prova definitiva de que Josh Homme, além de ser um grande guitarrista, também tem muita habilidade em criar refrões grudentos. Ainda há espaço para grooves e muita pegada funk na genial In The Fade, com participação de Mark Lanegan. Já em "I Think I Lost A Headache", a tradição da última faixa é seguida, com um final frenético que culmina num pandemônio de metais. Nascida nas já citadas Desert Sessions, "Monsters In The Parasol" traz a psicodelia de volta. Tal variedade de ritmos e sonoridades talvez se deva ao grande time envolvido na produção do album: dois bateristas e dois vocalistas convidados (Rob Halford, do Judas Priest, também dá uma canja), fora percussionistas, trombonistas, trompetistas e outros.

Ouvindo o álbum nos dias de hoje, é nítida a falta que Nick Olivieri faz. Contendo 11 faixas executadas em 40 e poucos minutos, Rated R é um álbum enxuto, excitante, intenso e provocante. De posse destes elementos, fica difícil fazer um álbum que não seja indispensável para qualquer pessoa interessada no bom rock 'n roll.


Queens Of The Stone Age - "Rated R"
Over-Meter: 100%

Download via Badongo

 


Rolling Stoners

Categoria: , , por default - quinta-feira, novembro 15, 2007

Homme e Olivieri; McCartney e Lennon; Richards e Jagger. Esta sequência te diz alguma coisa?

"Queens of The Stone Age" é, sem dúvida, um dos grandes discos de estréia do rock.
Mas será que podemos mesmo considerá-lo uma estréia?

Josh Homme e Nick Olivieri já haviam trabalhado juntos no lendário Kyuss, banda de metal que já contava com quatro álbuns lançados e uma considerável legião de fãs. Homme também fazia parte do Screaming Trees, um grande nome da cena grunge de Seattle. Com o término das atividades do Kyuss, Homme, Olivieri e Alfredo Hernandez, este último responsável pelas baquetas do Kyuss, formaram o Queens Of The Stone Age.

Um pouco antes disso, Homme e Olivieri já vinham fazendo experimentos em um estúdio no deserto da California, contando com a presença de convidados ilustres, como Peter Buck (REM), Mike Johnson (Dinosaur Jr.) e Mark Lanegan (Screaming Trees), entre outros. Estes experimentos viraram um projeto que ganhou o nome de "The Desert Sessions". Muitas composições criadas nesta época acabaram influenciando a sonoridade do QOTSA, sendo que algumas até entraram para o debut da banda, como a sensacional "Avon", por exemplo.

O álbum tem uma sonoridade peculiar, pois consegue juntar um instrumental pesado, às vezes lembrando Black Sabbath, a um vocal não tão convencional, muitas vezes até "gentil" para o estilo. "How To Handle a Rope" é um bom exemplo desta característica. Em "You Can't Quit Me Baby", cadências lentas e hipnóticas fazem dueto com momentos de tensão. Tem até uma faixa instrumental, "Hispanic Impressions", bem agressiva e quebrada. A última faixa do disco, "I Was A Teenage Hand Model", como o próprio nome indica, introduz uma brincadeira que seria seguida em todos os discos posteriores.

"QOTSA" foi financiado pela própria banda, sendo lançado pelo selo Loosegroove, de propriedade de Stone Gossard (Pearl Jam). Graças a um acordo com a RoadRunner, o album foi lançado em vários outros países, incluindo o Brasil, projetando a banda no cenário internacional como uma das grandes promessas do rock atual. Pessoalmente, é um dos meus favoritos e também é uma das provas definitivas de que não é necessário virtuosismo e fritadas guitarrísticas para criar um grande álbum de rock.


Queens Of The Stone Age - "Queens Of The Stone Age"
Over-Meter: 97%

Download via MegaUpload
Download via Badongo