Over-tunes
Por alguns trocados, só coisas de qualidade!

Pobre Ray

Categoria: , , , , por default - terça-feira, maio 26, 2009


No início da década de 90, um trio de moleques de classe média-baixa da região de Seattle - WA conseguia o feito de ganhar um disco de platina em questão de semanas e, paralelamente, tirar o rei do pop e das esquisitices do 1º lugar de todas as paradas musicais do mundo. Querendo ou não, e por mais que os ignorantes torçam o nariz, "Nevermind" (se você não sabe o que é Nevermind, vá à... bom, vá até a Wikipedia e descubra) foi um marco na história do rock alternativo, e mais que isso, demoliu para sempre o muro entre o underground e o mainstream.

Com o fim desta barreira, não só as grandes gravadoras, mas toda a mídia quis aproveitar o filão, farejando lucro em qualquer grupo de indivíduos que possuísse guitarra, baixo, bateria e camisas de flanela. Esta atitude das majors com certeza trouxe à tona muita banda ruim. Mas, por outro lado, também deu exposição a muitas bandas boas que nunca tiveram a chance de aparecer.

O Lemonheads, banda originária de Boston, já estava na estrada desde 1986, mas a explosão do rock alternativo (ou seria o fim dele?) deu um empurrão na carreira da banda, que em 1992 lançou o platinado "It's A Shame About Ray".

Download

O álbum representava uma grande mudança em relação aos primeiros releases. Se o primeiro EP, "Laughing All The Way To The Cleaners", mostrava uma mistura de punk e pop, inspirada por gente como Husker Du e Replacements, "It's A Shame" possui faixas calmas e despretensiosas, lembrando o Dinosaur Jr. e o Teenage Fanclub em alguns momentos. A maioria das letras é auto-biográfica ("My Drug Buddy" é um exemplo) e as músicas são cheias de violões. "Confetti" logo começou a protagonizar as college radios nos EUA, e puxado pelo single "Mrs. Robinson", cover de Simon & Garfunkel, o álbum chegou à marca de 800.000 cópias vendidas. Nesta época, o Lemonheads contava com Evan Dando (único membro remanescente da formação original), Juliana Hatfield (que saiu da banda logo após o lançamento do álbum) e o desconhecido David Ryan.

Depois do lançamento do álbum, Evan virou figurinha fácil na mídia americana e aos poucos foi afundando nas drogas, fato que, aliado à instabilidade das formações seguintes, impediu que o Lemonheads repetisse o feito e lançasse algum outro álbum à altura.

Depois ouçam e me digam se "It's A Shame About Ray" realmente merece toda essa atenção. Porque pra mim, merece.

UPDATE: adicionei esta raridade que mostra a banda no auge, em 1994, tocando no lendário festival de Glastonbury.

 

2 comments so far.

  1. Ênio Vital 1 de junho de 2009 01:59
    Esse album é muito foda. Tava escutando ele esses tempos!!!
  2. pierre 1 de junho de 2009 23:18
    esse album mudou minha vida...

Something to say?